SAC LOJAS: (12) 3925-2628 | SAC E-COMMERCE: (12) 3932-1455

Casas astrológicas: tudo que você precisa saber para entender seu mapa astral 

Quem já fez um mapa astral ou teve a oportunidade de ver um bem de pertinho, deve ter reparado que esse material geralmente apresenta-se dividido em doze partes, sendo cada uma delas representada por um signo do zodíaco. No estudo da astrologia, essas subdivisões são chamadas de casas astrológicas, o que elas significam e o que cada posicionamento representa em nossas vidas é que o vamos descobrir agora.  

Imagem de bússolas astrológicas.
Fonte: Indastro

As casas astrológicas 

Um mapa astral é a representação do céu no momento do nascimento de um indivíduo, nesse contexto, as casas astrológicas correspondem à divisão celeste levando em consideração o horário e o local deste acontecimento.  

O que dá sentido e significado à elas, é a presença dos signos e de um ou mais planetas.  Para entender melhor essa relação, podemos considerar basicamente que os corpos que emanam energia são os planetas, a forma que isso flui é manifestada através dos signos e onde tudo isso se manifesta são as casas astrológicas. 

Através do estudo da astrologia, com leitura e interpretação correta dessa condição, é possível identificar quais forças incidem sobre cada personalidade, como e em que área da vida elas se manifestam. Dessa maneira fica muito mais fácil trabalhar e aprimorar o autoconhecimento e as potencialidades do ser humano, além de corrigir rotas quando necessário e ampliar as oportunidades que o universo dispõe.  

Conheça agora quais são as doze casas astrológicas e seus significados

Imagens das dose casas astrológicas
Fonte: Costarastrology

Casa 1 

Localização do seu signo ascendente, ela trata sobre o “eu”, sua personalidade, seu comportamento. Através dessas informações é possível trabalhar e desenvolver seu autoconhecimento.  

Casa 2 

A casa 2 está relacionada às questões financeiras e tudo que tem valor para sua vida, quais são seus dons e habilidades e de que forma você ganha seu dinheiro. Aqui também são abordadas questões sobre autoestima e amor próprio, o seu valor.  

Casa 3 

Fala sobre a sua forma de se relacionar, conviver e comunicar com pessoas próximas, irmãos, demais familiares, amigos, englobando também todos os ambientes de socialização: escolar, cursos e deslocamentos rápidos. Esse é um setor que indica movimento e mudanças.  

Casa 4 

O Fundo do Céu, o ponto mais baixo e privado no mapa astral. A casa 4 representa seu lar e a influência da sua família, em um mergulho mais profundo trata até mesmo de suas raízes e seus ancestrais.  

Casa 5 

Revela sua relação com o universo infantil e o divertimento: hobbies, esportes, filhos legítimos e até os simbólicos, algo que foi criado por você: um projeto, um livro, uma marca, etc.  

Casa 6  

Rotina e saúde são seus temas principais. Aqui também entra sua relação com animais de estimação e suas funcionalidades terapêuticas no dia a dia.  

Casa 7 

A casa 7 é o oposto da casa 1, onde tem início o ângulo descendente e a divisão do mapa em dois hemisférios: o superior e o inferior. Essa área fala sobre sua relação com os outros, o tipo de pessoa que você atrai nos relacionamentos: amorosos ou nos negócios.  

Casa 8 

A 8 mostra sua relação com recursos que vem dos outros, situações consideradas tabus e como você lida com a finalização de ciclos: morte x herança, separação x pensão.  

Casa 9

A casa 9 está relacionada ao conhecimento mais aprofundado, filosófico e espiritual que adquirimos ao longo da vida, seja através de uma longa viagem, faculdade ou crença religiosa.  

Casa 10 

Ela tem início no ângulo do Meio do Céu, o ponto mais alto e exposto do mapa e, portanto, representa como você é e o que significa para a sociedade: seus feitos, sua profissão e como lida com o reconhecimento e até mesmo a fama, em alguns casos.  

Casa 11

Mostra seu envolvimento com os amigos e com os grupos que se relaciona na sociedade, trabalho, projetos, clubes, academia, etc. 

Casa 12 

Saúde mental, medos, inseguranças e tudo que é preciso enfrentar para evolução pessoal serão assuntos abordados na casa 12.   

Entenda mais: como elas são contadas e agrupadas 

As casas são numeradas no sentido anti-horário a partir da cúspide, o ponto de transição do Sol. Se o indivíduo nasceu durante o dia, temos um mapa diurno, quando o Sol estará posicionado acima do horizonte (entre as casas 7 e 12). Se a pessoa nasceu à noite, o resultado será um mapa noturno, com o Sol posicionado abaixo do horizonte, entre a 1 e a 6. 

Existe ainda a divisão em grupos, que são determinados pelas posições análogas que se encontram no mapa, são eles: 

Angulares (1, 4, 7 e 10) – são as casas dos ângulos principais e referem-se às ações e iniciações, estão relacionadas aos signos Áries, Câncer, Libra e Capricórnio. 

Sucedentes (2, 5, 8 e 11) – sucedente significa “seguir”, representam o propósito e a estabilização, gestão e desenvolvimento de recursos pessoais.  

Cadentes (3, 6, 9 e 12) – no mapa, são os pontos de transição e simbolizam “chegar ao fim”, “resolução”. Indicam situações em que é preciso refletir sobre o passado para decidir sobre os próximos passos no futuro.  

Desvendar os mistérios da astrologia pode facilitar muito nossa vida, aprender e saber lidar com nossos comportamentos, medos e limitações abre espaço para o autoconhecimento e, consequentemente, para a evolução pessoal, espiritual e material. Quem já fez ou quer muito fazer um mapa astral e buscar todo esse entendimento? 

Tags

Deixe seu comentário